Qual a frequência ventricular (do QRS)?

Usar as onda R como referência, e contar o espaço entre duas ondas R, tendo noção que:

  • 1 seg =25 quadradinhos pequenos
  • 1 seg = 5 quadradinhos grandes

Então a frequência cardíaca pode ser calculada com uma das seguintes contas:

  • FC = 300/nº quadradinhos grandes
  • FC = 1500/nº quadradinhos pequenos
O ritmo é regular ou irregular?

Usar as onda R como referência, e comparar se o espaçamento entre este:

  • É totalmente irregular sem reconhecimento de modelo r-r?
  • É regular com irregularidade intermitente?
  • Tem uma variação cíclica entre os intervalos R-R?
  • Tem presença de extrassístoles?

 

A duração do QRS é normal ou está alargada?

Contar a duração do intervalo QRS, tendo em conta que este dura cerca de 0,12 segundos, ou seja 3 quadradinhos pequenos, no ECG de 12 derivações.

 

Há atividade auricular?

A onda P é a onda representativa da atividade auricular. No ECG de 12 derivações as derivações ideais para as procurar são da DII e na V1, pois são onde estão mais visíveis.

 

Qual é a relação da actividade auricular com a ventricular?

O complexo QRS é representativo da atividade ventricular. Procurar a relação entre P e QRS permite percebe a forma como a aurícula se relaciona com o ventrículo, e a forma como a condução está a ser feita.

Como referência sabemos que o intervalo PR dura cerca de 0,12 a 0,2 segundos, ou seja 3 a 4 quadradinhos.

Assim sendo, o nosso termo de comparação será sempre o ritmo sinusal, que tem como características:

  • Frequência de 60 – 100/m
  • Onda P positiva em D2, D3, e aVF e negativa em aVR
  • A cada onda P segue – se um QRS a uma distância de 0,12 – 0,2 seg