Índice de conteúdos

1. Processo do sistema respiratório
    1.1. Abordagem básica da via aérea
    1.2. Abordagem avançada da via aérea
        1.2.1. Material de via aérea avançada
    1.3. Princípios de interpretação de gasometrias arteriais
    1.4. Ventilação mecânica
        1.4.1. Ventilação mecânica não invasiva
        1.4.2. Ventilação mecânica invasiva
        1.4.3. Nebulizações em ventiladores
    1.5. Reeducação respiratória na fase aguda

2. Processo do sistema circulatório
    2.1. Eletrocardiografia
       2.1.1. Princípios ECG
       2.1.2. Passos para ler um ECG
       2.1.3. Alterações mais frequentes do ECG
       2.1.4. Monitorização do traçado eletrocardiográfico
       2.1.5. Exemplos de ritmos

3. Processo do sistema nervoso

4. Processo do sistema musculosquelético

5. Processo do sistema imunitário

6. Processo do sistema tegumentar
   6.1. Feridas
       6.1.1. Princípios
       6.1.2. Prevenção UP
       6.1.3. Diagnóstico diferencial de feridas
       6.1.4. Infeção em feridas
       6.1.5. Lista geral de material de tratamento
       6.1.6. Protocolo de tratamento de feridas
       6.1.7. Outros recursos

7. Processo do sistema regulador

8. Processo do sistema gastrointestinal

9. Processo do sistema urinário

10. Fármacos
   10.1. Fármacos no SU
   10.2. Lista de antídotos
   10.3. Mistura de fármacos
   10.4. Princípios gerais de diluições

11. Ressuscitação
   11.1. Guidelines em Ressuscitação
   11.2. Avaliação ABCDE

Os princípios do servicodeurgencia.pt

By João Gomes on 02/05/2017

Os serviços de urgência são unidades de extrema complexidade onde o trabalho dos enfermeiros é muitas vezes inglório. Podem dar tudo que há para dar e com a melhor qualidade imaginável, e no entanto chegar ao fim do dia sem nada para mostrar. Nem à população que não se apercebeu de um terço do trabalho conceptual e da sua implementação. Nem às chefias que não têm um indicador que traduza a qualidade do trabalho prestado. Nem à direção que acredita que os enfermeiros são um mal necessário, mas barato, para dar umas picadelas aqui e ali. Com sorte sobra uma história para contar aos colegas e amigos, se não ficar esquecida no meio de tantas outras por vezes menos agradáveis. Devem ser os profissionais que mais reclamações ouvem sobre assuntos que não têm rigorosamente nada a ver com o seu trabalho, mas têm a obrigação de perder o seu tempo a tentar resolvê-los.

Os enfermeiros dos serviços de urgência têm obrigatoriamente de dominar conhecimentos de várias áreas além da enfermagem, nomeadamente ciências biomédicas e muitas outras, e este facto não torna o nosso trabalho fácil de medir e avaliar. Qual é o enfermeiro que não tem uma extrema dificuldade em explicar a qualquer cidadão ou outro profissional o que fazem num serviço de urgência?

O projecto servicodeurgencia.pt tem por finalidade ajudar os enfermeiros a produzir e divulgar vários conteúdos em cinco grandes níveis:

- A elaboração de várias páginas com informações úteis para o dia-a-dia, como a pesquisa rápida e simples de fármacos, instruções de como montar ventiladores, orientações sobre a identificação de ritmos e ECG, orientações sobre tratamento de feridas, entre outros, evitando assim colar informação desorganizada nas paredes ou livros de bolso, visto que em 10s acedemos facilmente ao site;

- O agrupamento destas páginas em manuais assim que os conteúdos estiverem terminados. Todo o conteúdo de acesso livre sem qualquer restrição ou intuito financeiro;

- A elaboração de testes de conhecimento para demonstrar a existências de dúvidas e incertezas em contexto teórico, evitando que as mesmas surjam na prática no meio da actuação num doente crítico. Os resultados destes testes servem posteriormente para dirigir formação específica e especificar novos conteúdos;

- O incentivo à realização de sessões teóricas e práticas de casos clínicos, com vários exemplos, quer a nível de principiante que para enfermeiros experientes para treinar destreza e não deixar protocolos complexos como o SAV cair em esquecimento;

- A definição exacta e detalhada do trabalho que realizam os enfermeiros do serviço de urgência. Quais são os focos onde actuamos, como os definimos, como intervencionamos e com que objectivos. Este vai ser um trabalho longo e beneficia profundamente da colaboração de um grande número de elementos.

Se todos colaborarem na reflexão sobre os conhecimento e competências necessários a um enfermeiro do serviço de urgência, mais facilmente chegaremos ao dia em que se podem medir e avaliar todas elas de forma a valorizar o nosso trabalho árduo e mostrá-lo a todos os que o queiram ver.

Se alguém partilhar este objetivo pode entrar em contacto connosco pelo formulário de contacto, mensagem pelo Facebook ou pessoalmente.

Notícias
Author